História

Hospital Estadual Serrana

Nossa História

Na década de 80, moradores de Serrana, incluindo vários políticos e empresários, idealizaram transformar a Cidade em um polo regional de saúde. Para isso, iniciaram a ampliação da Santa Casa de Misericórdia de Serrana com a construção de um novo prédio.

Várias ações foram feitas pelos munícipes de Serrana para angariar recursos, inclusive, muitos trabalhadores doavam 1 dia de serviço por ano para a construção do Hospital.

No entanto, a construção foi interrompida algumas vezes e para finalização desse projeto, a estrutura erigida foi cedida ao Governo do Estado de São Paulo que, após novos investimentos, implantou o agora denominado Hospital Estadual Serrana (HE Serrana). 

Para o gerenciamento do HE Serrana, a Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FAEPA – HCFMRP-USP), qualificada como Organização Social, celebrou Contrato de Gestão com a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em 07 de dezembro de 2018, após sagrar-se vencedora da Convocação Pública de 20/09/2018 – Resolução SS 65.

A solenidade de inauguração do HE Serrana ocorreu no dia 16 de julho de 2019, com a presença do Governador do Estado de São Paulo João Doria, do Secretário de Estado da Saúde de São Paulo José Henrique Germann Ferreira, entre outras autoridades.

Todavia, a implantação de suas atividades deu-se de forma gradativa durante o ano de 2019. Em 11 de abril, iniciaram-se as consultas ambulatoriais; em 03 de junho, as internações em UTI e enfermarias; e em 01 de julho, as cirurgias. No mês de novembro de 2019, o Hospital atingiu sua plena capacidade, com 74 leitos de enfermarias clínicas, cirúrgicas e psiquiátricas; 10 leitos de UTI; 2 salas cirúrgicas; e serviço de ambulatório e exames de imagem e endoscópicos.

O modelo assistencial clínico prevê a ampliação da oferta de leitos para assistência de média complexidade e a otimização dos leitos de referência terciária. Nesse contexto, o HE Serrana recebe pacientes exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS) da região do Departamento Regional de Saúde (DRS) XIII do Estado de São Paulo, encaminhados por hospitais de maior complexidade para complementação terapêutica, especialmente da Rede Urgência e Emergência (RUE), e também diretamente das unidades de pronto atendimento (UPA). Além disso, o HE Serrana conta com 6 leitos de isolamento com pressão negativa, sendo dois de terapia intensiva, podendo, assim, prestar assistência a pacientes com doenças de transmissão respiratória.

O HE Serrana não possui pronto atendimento, portanto todos os pacientes são encaminhados pela Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde (CROSS).

Em relação à assistência cirúrgica, foi ampliada a oferta de cirurgias eletivas com foco na realização de procedimentos em pacientes de maior complexidade nas especialidades de coloproctologia, gastrocirurgia, ortopedia (cirurgia do joelho e cirurgia dos membros superiores), cirurgia de cabeça e pescoço e cirurgia vascular.

O atendimento cirúrgico é eletivo e segue protocolos pré-estabelecidos, conforme a indicação médica e condições clínicas de cada paciente.

O HE Serrana realiza ainda exames endoscópicos diagnósticos (endoscopia digestiva alta e colonoscopia), ultrassonográficos e de tomografia computadorizada, todos dedicados ao diagnóstico eletivo de doenças.

Nossa filosofia de trabalho considera o conceito ampliado de saúde e contempla o atendimento integrado baseado em equipes multiprofissionais compostas por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, assistentes sociais, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e farmacêuticos.

Além disso, valorizamos a integração das equipes assistenciais, administrativas e de apoio.

Assim, buscamos a construção de um plano terapêutico de acordo com a demanda e o perfil assistencial dos pacientes, sempre respeitando a sua individualidade, necessidades e valores.

Para isso, nos norteamos pelas diretrizes nacional e estadual de humanização e pelas ferramentas de qualidade e segurança do paciente e educação permanente.

 

A solenidade de  inauguração do HE Serrana ocorreu no dia 16 de julho de 2019, com a presença do Governador do Estado de São Paulo João Doria, do Secretário de Estado da Saúde de São Paulo José Henrique Germann Ferreira, entre outras autoridades. Todavia, a implantação de suas atividades deu-se de forma gradativa durante o ano de 2019. Em 11 de abril, iniciaram-se  as atividades ambulatoriais com atendimentos de consultas;  em 03 de junho, às internações em UTI e enfermarias; e,  em 01 de julho, às cirurgias. No mês de novembro de 2019, o Hospital atingiu sua plena capacidade, com 74 leitos de enfermarias clínicas, cirúrgicas e psiquiátricas, 10 leitos de UTI e 2 salas cirúrgicas.

O modelo assistencial clínico prevê a ampliação da oferta de leitos para assistência de média complexidade e a otimização dos leitos de referência terciária. Nesse contexto, recebe pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) da região do Departamento Regional de Saúde (DRS) XIII do Estado de São Paulo, encaminhados por hospitais de maior complexidade para complementação terapêutica, especialmente da Rede Urgência e Emergência (RUE), bem como do HCFMRP-USP, Santa Casa de Ribeirão Preto e de Sertãozinho e Beneficência Portuguesa. Além disso, o HE Serrana conta com 6 leitos de isolamento com pressão negativa, sendo dois de terapia intensiva, podendo, assim, prestar assistência a pacientes com doenças de transmissão respiratória.

Em relação à assistência cirúrgica, foi ampliada a oferta de cirurgias eletivas com foco na realização de procedimentos em pacientes de maior complexidade nas especialidades de Coloproctologia, Gastrocirurgia, Ortopedia – Cirurgia do Joelho e Cirurgia dos Membros Superiores, Cirurgia de Cabeça e Pescoço e Cirurgia Vascular. O atendimento cirúrgico é eletivo e segue protocolos pré-estabelecidos, conforme a indicação médica e condições clínicas de cada paciente.

O HE Serrana realiza ainda exames endoscópicos diagnósticos (endoscopia digestiva alta e colonoscopia), ultrassonográficos e de tomografia computadorizada, todos dedicados ao diagnóstico eletivo de doenças.

Atua de forma referenciada, ou seja, recebe pacientes encaminhados pela Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde (CROSS) ou por transferências inter-hospitalares.